Blog
2019-06-19

Descubra mais sobre o Centro de Portugal

Onde a história é milenar, a cultura enriquece a alma e a mente, e as paisagens são de cortar a respiração, há muito a não perder na região do Centro de Portugal.

Entre o mar e montanhas, escondem-se os tesouros do Centro de Portugal. Tesouros como Coimbra, conhecida como a Cidade dos Estudantes, graças à universidade, uma das mais antigas do mundo em operação, e onde os visitantes têm a oportunidade de observar rituais seculares como a anual Serenata estudantil, enquanto descobre os tesouros da história de Portugal como a imponente Sé Velha e o majestoso Mosteiro de Santa Clara. É também um excelente ponto de partida para partir à descoberta da história  e cultura de Portugal. No litoral deparamos com areais brancos e com incríveis paisagens naturais como pano de fundo. Em praias como a Figueira da Foz, Nazaré e Peniche é importante aproveitar e relaxar um par de horas ao sol a degustar de um bom almoço, dar um passeio ao som da canção do mar, ou também a divertir-se a praticar os muitos desportos aquáticos à oferta. 

Com a refrescante brisa do oceano atlântico estas praias, são paragens maravilhosas de uma aventura pela costa portuguesa. Atreva-se também a atravessar os portões do Castelo de Óbidos para descobrir esta inestimável e pitoresca vila medieval. Entre pórticos manuelinos e janelas floridas esta vila vai conquistá-lo pela sua simplicidade, história e charme, qualidades demonstradas nas suas ruas e muitas igrejas, exemplos dos tempos áureos.
 
Entre florestas e planícies é uma região apaixonada pela natureza, um apogeu de biodiversidade e onde uma escapadinha para as montanhas é sempre a aventura perfeita. Exemplos como a Serra da Estrela, onde os vales glaciares são milenares e as zonas verdes são as mais vastas do país. Aqui encontra-se o ponto mais alto de Portugal continental, e o silêncio e a paz das montanhas perfeito para reflexão. Há diversão para toda a família quer seja a desfrutar das praias fluviais ou a caminhar num dos muitos trilhos que permitem explorar este rústico, mas nobre espaço natural.

Outro exemplo é o Parque Natural do Tejo Internacional que oferece uma gradual transição entre as montanhas do Centro de Portugal e as planícies do Alentejo com a beleza cénica do Rio Tejo. Encontrando-se nos seus vales profundos quase 400 variedades de espécies, grande parte aves como cegonhas-pretas (símbolo do Parque), torna-se numa das mais importantes áreas protegidas portuguesas. Aqui podem também encontrar-se oportunidades para  turismo ativo com percursos pedestres, escalada ou canoagem e até BTT e trilhos de bicicleta que lhe levam a visitar tesouros do centro de Portugal.
 
Outros tesouros como as aldeias históricas de Portugal. Pequenos pontos no mapa, mas importantes pontos da história de Portugal como parte da mais antiga fronteira europeia. Vilas e Aldeias como Belmonte, caso singular no território peninsular com séculos de permanência da cultura e da tradição hebraica, ou Castelo Rodrigo, palco de antigas disputas entre Portugal e os vizinhos castelhanos na defesa do território português. Todas as aldeias do Centro de Portugal têm uma história diferente para descobrir, entre castelos e muralhas, entre tasquinhas e gastronomia gourmet, entre tradições centenárias e as últimas modas.

Outro exemplo são as aldeias do xisto, onde pode perder-se em trilhos de pastores e restaurar-se com o ar puro e as vistas de tirar o fôlego. Encontre aldeias como a Ferraria de São João, exemplo máximo onde a ruralidade e o turismo de natureza convivem, numa bela paisagem e rica cultura, através de atividades como os workshops de queijo de cabra fresco ou de pão em forno a lenha e passeios pelos trilhos do Centro de BTT. Ou a aldeia de Gondramaz com um percurso acessível a visitantes de mobilidade reduzida, que se podem perder na melodia das ruas estreitas e sinuosas desta terra de artesãos. Garantido em qualquer viagem por estas aldeias é o nível de diversão quer seja a viver grandes emoções em BTT ou um passeio mais relaxado enquanto conhece as aldeias e a natureza envolvente.

FAQ