Blog
2019-06-21

10 coisas a fazer nas Aldeias Históricas de Portugal

Venha descobrir pontos muito pequenos no mapa do mundo, mas que não só fazem parte da mais antiga fronteira europeia, mas também alteram para sempre o destino de um país. 

12 Aldeias Centenárias, espalhadas pelo Centro de Portugal, bem-vindo às Aldeias! Donas de paisagens hipnotizantes, estradas desertas, trilhos ancestrais e castelos assombrosos, tenha o privilégio de caminhar onde conquistadores caminharam, de caminhar por alguns dos mais impressionantes parques naturais portugueses, ou simplesmente caminhar até ao mais próximo restaurante e saborear anos de sabedoria. Uma viagem inesquecível a explorar história, tradições e os aromas de um território tão diversificado, aberto à aventura! Não perca os Top 10 das Aldeias Históricas de Portugal:
 
1. Gastronomia

Prepare-se para provar as melhores iguarias e fantásticos produtos regionais! É o degustar do melhor da gastronomia portuguesa, regada com os melhores vinhos. Exemplos principais de produtos regionais incluem cabrito, borrego, enchidos e azeites, típicos da região do centro de Portugal, que vão sempre encontrar em várias receitas. Exemplos mais concretos são queijo da Serra, que é considerado o queijo nacional mais antigo e reconhecido, o mel da Serra da Lousã, as várias opções de vinho que pode incorporar na viagem desde espumantes, a tintos e as cerejas que pode arranjar perto da Cova da Beira.
 
2. Explorar a antiga Aldeia de Idanha-a-Velha

Uma das mais antigas do conjunto das Aldeias Históricas de Portugal, com uma história que remonta ao século I a.c.. Espaço onde se ergueu cidades de fundação romana e mais tarde até uma sede episcopal sob domínio suevo e visigótico, é notável pelo conjunto de ruínas que conserva, vestígios de essas diversas épocas. Para visitar encontramos a Torre dos Templários, ou Torre de Menagem, vestígio único do Castelo de Idanha-a-Velha construído por cima da base de um templo romano dedicado à deusa Vénus, a ponte romana sobre o rio Pônsul, que em tempos ligava Mérida a Braga, e o Lagar de Varas onde ainda é possível ver de perto como era produzido o azeite. Um lugar único entre a história de Portugal, com vários vestígios das grandes civilizações que nos antecederam, com oportunidades de se arriscar pelas encostas, em estilo mountain biking, ou simplesmente perder-se na beleza desta pitoresca aldeia.

3. Conhecer a História e Monumentos

Feitas de granito e xisto, as Aldeias históricas conservam uma rica história de conquistas e batalhas, evidenciadas pelos vários monumentos e legendas que as rodeiam. Distinguem-se muitas vezes ao longe pelas altivas torres dos seus castelos medievais, e por isso também estão alinhadas ao longo da fronteira com Espanha. Entre mouros e cristãos, castelhanos e portugueses, durante muitos séculos, num total de uma histórica com 900 anos, há muitas histórias para descobrir. Entre os castelos, encontramos também igrejas renascentistas, ou origem romântica como a Igreja matriz de Linhares da Beira que guarda tábuas atribuídas a Grão Vasco, importante pintor quinhentista. Entre as muitas batalhas, surgem também histórias de coragem, como a da princesa Isabel, filha bastarda do rei D. Fernando trocada em casamento para assegurar a paz com Espanha, ou históricas fantásticas como a lenda da mesa com pedras preciosas da Aldeia da Almeida, mesa esta que supostamente existe no tempo dos árabes e deu então nome à aldeia. Muitos segredos e tesouros guardam estas aldeias do centro de Portugal.

4. Descobrir a Aldeia Presépio, Piódão

Um lugar escondido do mundo, com uma deslumbrante arquitetura criada de forma harmoniosa com a natureza e rodeada dessa mesma magnifica e pura paisagem. Chamada as vezes “aldeia presépio”, pela forma como as suas casas estão espalhadas pela encosta, aninhada pela Serra do Açor. Foram as nascentes e pastagens desta serra que atraíram os pastores lusitanos há anos atrás, tradição continuada até aos dias de hoje além de proporcionarem uma beleza natureza pronta a ser admirada. Com casas construídas no tradicional xisto mas com o teto coberto com lajes e portas e janelas de madeira pintadas de azul, que criam um efeito único à noite com a luz artificial.

5. População

Conhecidas como pessoas de muito orgulho na sua terra e história, tenazes contra os contratempos das guerras e clima e sobretudo alegres e hospitaleiros. A população das aldeias históricas sempre foi considerada pequena, e viviam sobretudo graças à agricultura aos seus animais e cultivos e ao artesanato local. Hoje em dia entre feiras e romarias e turismo ativo, existem outros meios de subsistência. Infelizmente a saída dos jovens para cidades mais urbanas no litoral à procura de melhor vida e o envelhecimento da população está a levar à extinção de algumas aldeias. Mas com a modernização das aldeias e mais fundos e oportunidades de emprego, são locais ideias para viver na paz e tranquilidade. Aproveite cada visita a uma aldeia para conhecer os seus habitantes, poços de conhecimento da história e das redondezas, pessoas com um outro olhar sobre a vida, muitos mais que contentes de partilhar qualquer sabedoria que possam ter.

6. Visitar lugares importantes na história da defesa do território Português

Rodeada de imponentes muralhas, e as vezes perdida em lendas, a aldeia de Castelo Rodrigo foi palco de constantes disputas entre Portugal e os vizinhos Leões e até hoje mantem uma característica traça medieval. Durante a história nacional, não há nenhuma povoação que foi durante um período tão longo um lugar tão relevante nas relações Luso-Castelhanas, e na defesa do território português, e onde a coragem e lealdade se destacassem tanto. Aproveite a facilidade do terreno e as redondezas para caminhar um bocado, até mesmo visitar a Reserva Natural da Faia Brava. Não deixe de visitar o poço cisterna, a igreja e o convento de Sta. Maria de Aguiar, a torre do relógio, o pelourinho quinhentista e a Igreja de Nossa Senhora de Rocamador, parte da rota de peregrinos a Compostela.

7. Decobrir aldeias entre penedos de granito

Entre penedos de granito, encontramos a aldeia de Monsanto, alcandorada num cabeço que se impõe ao olhar na maior parte dos horizontes. Um ícone turístico da região, considerada até em algumas ocasiões como a aldeia mais portuguesa de Portugal. No nordeste das Terras de Idanha, tem vestígios da presença humana desde paleolítico, ocupada pelos visigóticos, aos romanos e árabes. Uma visita ao Castelo é essencial edificado pela Ordem dos Templários, localizado no ponto mais alto da colina, a 758 metros e complementado por duas belas capelas. Aproveite para passear a caminhar ou de bicicleta pelas suas estreitas ruas, admirar as casas de granito e perder-se neste ambiente tranquilo e autêntico antes de seguir a sua viagem.

8. Desfrutar dos Parques e Reservas Naturais

A natureza é uma parte crucial das Aldeias Históricas, não só para a história da população, mas também para a beleza que lhes concedem. É então de aproveitar, de visitar algumas áreas e espaços verdes aquando da sua visita. Um excelente exemplo é a Reserva Natural da Faia Brava, localizada no Vale do Côa e inserida na Zona de Proteção Especial do Vale do Côa. Há inclusive algumas tours que lhe permitem conectar as Aldeias Históricas, caminhando pelos antigos trilhos até chegar a esta paisagem irrestível. Os afloramentos rochosos graníticos, com escarpas e idóneas são perfeitos para a nidificação de aves rupícolas, e isso acompanhado pelo facto que é um fantástico ponto de observação de diversas aves nomeadamente o grifo, o abutre egípcio (símbolo do Parque) e a cegonha negra, classificou a área como IBA (Birdlife International Important Bird Area). Outro exemplo é o NaturparkTejo – Parque Natural do Tejo Interncional que oferece numa extensão de 50 kms uma gradual transição entre as montanhas do Centro de Portugal e as planícies do Alentejo, encontrando-se vales profundos e a beleza cénica do Rio Tejo. É igualmente uma zona de proteção de aves, com mais de espécies que aqui nidificam, desde cegonhas-pretas (símbolo do Parque) a águias e bufos reais. Aqui podem também encontrar um turismo mais ativo como percursos pedestres, a escalada ou canoagem e até BTT e trilhos de bicicleta que lhe levam a algumas aldeias históricas.

9. Visitar uma das aldeias mais bem conservadas, Sortelha

Considerada uma das aldeias mais bem conservadas, a fisionomia urbana e arquitetónica da Sortelha é protegida por um anel defensivo e por um castelo do séc. XIII. A aldeia anel, como é conhecida possibilita um recuar aos séculos passados, por entre sepulturas medievais e igrejas renascentistas, até ao pelourinho manuelino. Um passeio pelos quarteirões muito irregulares, por entre casas de pedras de dois andares, encontra-se o Largo do Corro onde se ergue uma árvore secular e uma fonte de mergulho medieval ou quinhentista, onde se pode relaxar. Não perca a oportunidade de visitar esta pequena aldeia, quase saída de uma história de encantar.

10. Explorar a terra natal de pedro Álvares Cabral, Belmonte

Com uma ampla vista sobre a encosta oriental da Serra da Estrela, esta paisagem envolvente justifica o seu nome (monte belo ou belo monte). Terra solarenga implantada na margem esquerda do rio Zêzere, de boas gentes, história de séculos e única em Portugal. Não perca a oportunidade para passear de bicicleta entre os trilhos que a conectam a outras aldeias. Conhecida como a terra natal de Pedro Álvares Cabral, navegador que no ano 1500 descobriu oficialmente o Brasil, ainda hoje é possível experienciar esses tempos de descobrimentos, navegação sem fim no Museu dos Descobrimentos. É também conhecida pela sua população judaica, caso singular no território peninsular de permanência da cultura e da tradição hebraica desde o início do século XVI. Visite o Museu Judaico, onde pode conhecer a história da última comunidade Criptojudaica que sobreviveu no país, ou então apareça durante o Festival Kosher e experimente novos sabores.

FAQ